quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Depoimento - Vail, CO

Escolhendo o Destino

Tive muita dúvida na hora de escolher, porque queria muito Vermont, mas como nada é fácil meus pais decidiram que só deixariam eu viajar se fosse pela opção Job Fair (que você é contratado em uma feira) e infelizmente na minha feira não rolou nenhum empregador de Vermont.

Então fui olhar as opções: Califórnia, Califórnia, Califórnia, que inferno!
Pra minha sorte, alguns Resorts do Colorado vieram e um da cidade Vail me interessou muito, por ser um Resort pequeno, não muito conhecido, por um amigo meu já ter ido pra lá e amado, empregadores super gentis, atenciosos, então escolhi esse: Sonnenalp Resort of Vail



Piscina do Sonnenalp, Vail, CO


Fiz entrevista, peguei a job offer, fui pro consulado e dia 5 de dezembro embarquei!

Depois de uma viagem MUITO cansativa (Recife-RJ-SP-NY-Dallas-Denver + 2h de carro pra Vail) finalmente tinha chegado, um frio absurdo, a cidade toda branca já, bem pequenininha, perfeita.

Trabalho


Primeiro noite, o “Welcome” do meu empregador foi sermos hóspedes nesse dia. Então foi só glamour, jantar de graça, serviço de quarto, banho de banheira, roupão, chinelinhos e uma das melhores camas que eu já dormi na minha vida.
Voltando à vida real no outro dia, fizemos orientação e fomos ter, cada um, uma conversa particular com a chefe do Recursos Humanos. Então aí começa o meu drama, ela vira e diz: “Júlia, você meio que tá sem função, nós íamos lhe colocar no nosso condomínio, mas não estamos mais trabalhando com o antigo porque estamos construindo um novo...bla, bla, bla.”

E a solução?
A solução foi eu ser entrevistada pelo chefe do restaurante mais casual do hotel, o Bully Ranch, e vê se ele me aprovava e me dava o emprego que ela tava querendo.
Só esqueceram de me avisar que esse tal chefe era o cara mais lindo que já tinha visto, ta sem exageros, mas era lindo, então já bateu nervosismo, comecei a entrevista ótima, quando ele virou e perguntou se eu tava pronta pra assumir a porta do restaurante mais “busy” do hotel, eu comecei a gaguejar, ficar errando no inglês e terminei deixando ele com o pé atrás. Ficou de pensar, conversar com Kathy (gerente do RH) e me dá uma resposta.

Passado todo o susto, terminei caindo de Hostess na “bolha americana” do meu hotel, todo mundo quando sabia que eu ia pra lá me dizia isso, que eles não eram receptivos, que não ia ninguém de fora pra lá, fizeram o terror.
E quando cheguei foi de cara isso mesmo, o bartender era um grosso, no meu primeiro dia já queria que eu soubesse carregar bandeja bem, o meu chefe mal falava comigo, deixou uma outra menina me orientando e um dos garçons já tinha começado a implicar, reclamando do inglês, do serviço, de tudo.

Então veio a primeira cagada, saiu o meu horário da semana e eu olhei: “ótimo, quarta e domingo de folga”, Quarta-Feira fiz programações com a minha roomate, tudo ótimo, umas 21h quando tava na lavanderia do alojamento falando com os meus pais o tal garçom implicante aparece e pergunta porque eu não tinha ido trabalhar, aí eu: “como assim? Eu tô de folga hoje!”, então quem diria ele se ofereceu pra me levar de carro no hotel, pra eu não perder tempo esperando o ônibus, então lá fui eu me explicar, já entrei com cara de choro no restaurante mas lembrei que não tava no colégio então SEM CHORÔRÔ, quando olhei pro meu chefe, aquela cara de decepção, ele me pergunta o que aconteceu que eu arrumasse um celular urgente porque ele até pensou em me ligar mas não tinha telefone nenhum e que eu fosse pra casa mesmo, que tava tudo bem
.

Breakfast Staff no Sonnenalp Resort of Vail

Merda feita, move on, a primeira semana se passou e eu entrei em pânico de novo, só tava trabalhando no MÁXIMO 5h por dia, não ia fazer dinheiro nem pra pagar aluguel. Foi quando meu chefe veio me perguntar se tava gostando e eu disse que tava adorando porém que tava trabalhando muito pouco e que sabia que o café-da-manhã tava precisando de ajuda porque algumas amigas minhas trabalhavam lá e tinham me dito, no mesmo momento ele chama o gerente do café e me apresenta, alguns minutos de conversa e ele me diz que no outro dia eu já começava a trabalhar.

Eu voltei toda feliz pra casa, “eba segundo emprego e ainda no mesmo hotel, vou ganhar muito com hora extra”, eu nem sabia que esse tão desejado café-da-manhã ia se tornar o meu inferno astral da viagem inteira.

Atualizando a minha nova rotina: Busser no Café-da-manhã e Hostess no jantar, que significava acordar as 5h da manhã e ir dormir quase meia-noite, isso quando não tinha festinha ou quando simplesmente não resolvia ficar conversando com os meus roommates, pois todos só trabalhavam a noite.

Ano novo, dia de comemoração no Brasil, lá pra mim eu ia enfrentar um dia longo, que acho que depois dele só a Páscoa me deixou tão cansada. Acordei as 5h pra trabalhar no café e como era dia especial saímos bem tarde, quase umas 14h, cheguei em casa tomei banho coloquei a outra roupa e fui trabalhar na festa, porque uma amiga minha me indicou pra trabalhar pro “banquets” ( banquets = muito dinheiro em um noite só), entrei as 17h, cheguei em casa as 2h da manhã, cochilei até as 5h da manhã, fui pro Café, saí de novo quase meio da tarde, cheguei em casa, chorei de dor nos pés, coloquei na água quente, tomei banho e fui pro trabalho da noite, de Hostess. No outro dia tive folga, ufa!


No começo eu chegava a até ter 3 folgas no café-da-manhã com as minhas duas da noite, ficava tranqüilo, porque meu chefe não queria que eu fizesse muita hora extra.
Mas a temporada foi começando a pegar, final de fevereiro começo de março o pessoal que não queria perder o semestre na faculdade foi indo embora e eu fiquei.
Então a nova rotina era, uma folga no café e as duas da noite, correndo os risco de uma delas ser cancelada.



Páscoa, foi algo parecido com Ano Novo, entrei as 6h, saí as 16h da tarde, porque lá eles fazem um Brunch, voltei pro trabalho da noite as 18h e só saí umas 23h.
Foi cansativo, 4 meses mais cansativos acho que não vou ter nunca, nunca pensei que podia ser tão boa carregando uma bandeja (bandejão também), tomando conta da porta de um restaurante que tinha lista de espera de 1:30h, que podia arrumar uma mesa tão rápido e que podia bater o recorde de copos quebrados (hehehe), porém tudo foi válido, conheci desde o Dishwasher até o Diretor de Alimentos e Bebidas, fiz o meu trabalho da melhor maneira possível e deixei portas abertas, tanto que estou voltando esse ano.











Júlia com os brasileiros no X-Games, Aspen





Cidade


A cidade é linda, movimentadíssima, tem tudo e é a 2h de Denver, cidade melhor ainda.
Vail, Avon e Beaver Creek são três cidades coladíssimas e quem vive nelas ta sempre de uma pra outra, o transporte dentro das cidades é gratuito e de uma pra outra custa 6 dolares ida e volta, porém você pode comprar uns pacotes.. Avon é onde tem Wall-Mart, e grande parte do pessoal mora, Vail tem as baladas (SandBar, 8150, Tap Room, noite Brasil x Argentina, não fui em nenhuma, não quis arriscar e fazer ID falsa), as lojas, a maior concentração de hotéis, restaurantes e eventos, Beaver Creek tem a pista de patinação, comércio também e fora essas três principais tem Keystone que tem o tão famoso Ski Noturno, Glenwood Springs onde tem o piscinão de ramos, uma piscina aquecida gigante, ao ar livre, dentre tantas outras cidades.

E uma última dica, se você for pra qualquer estação de Ski, não deixe de fazer Tubbing, que é descer uma parte da montanha de bóia e pode descer em grupo, muito bom, divertido, vale muito a pena.

Dicas Finais:
Mesmo que você seja estudante de Medicina e pense que não vai servir de nada aprender a arrumar um quarto, uma mesa ou carregar uma bandeja, se dedique ao máximo, tente fazer o melhor, não tenha vergonha de dizer que não sabe, cuidado com o inglês, não se esqueça que é um ambiente de trabalho, não abuse dos privilégios que o seu hotel vai lhe dar, as vezes uma besteira pra gente é algo grande pra eles, lembre de todas essas coisa que “toda mãe” sempre diz, elas tão certíssimas, só vão te trazer ótimas relações e quem sabe oportunidades futuras.




Júlia tem 20 anos, é de Recife/PE, estudante de Relações Internacionais

Um comentário:

Talita disse...

caio meu nome e talita!to procurando um amigo que se chama caio braz de almeida, irmao de liliam braz de almeida que moravam em sao luis de montes belos goias!!
Por favor se form vc me mande um email para:talytinha_16@yahoo.com.br
aguardo sua resposta grande abracao
grande abracao